Skip to content

Toques e Retoques

31 março, 2008

Porque certas máximas são o máximo do mínimo,

se ela não “der no couro”, troque o natural pelo sintético.

*

Certos toques parecem tão fundamentais que superam os fundamentos da existência humana. Há aquele toque (aviso) sem o qual podemos alçar vôo sobre as lavas ferventes das Montanhas da Perdição numa viagem mais dolorosa do que a de Gollum; afinal, nesse caso, o couro é nosso. E há aquele toque (contato) capaz de arrepiar até o pêlo do pensamento e pelo qual podemos praticar o indizível.

Em ambos os casos, será possível tocar e retocar sem limitações ou no limite que a paciência permitir, porque até a sua forma franciscana tira férias. A minha havia entrado no seu recesso parlamentar – período em que se recebe muito para não se fazer nada e, por isso mesmo, não há pressa em voltar ao trabalho outra vez…

*

Máxima Mínima

***

– Não, não, não! Já disse que não estava olhando para ela! – Diana era conhecida por sua capacidade insuperável de mentir.

– Você beija de olhos fechados, meu bem, por isso não a viu, – falei enquanto caminhava em direção ao carro.

– Eu não beijei ninguém! – Diana retrucou, determinada.

– É mesmo? Jura? – Indaguei irritada parando um instante, a fim de observá-la com atenção.

– “Quem jura, mente”, Aranel. – Ela ajeitou o longo cabelo liso enquanto acentuava o ar vitorioso de quem acha que sabe usar máximas com perfeição.

– Eis uma verdade: “quem jura, mente“. Talvez, por isso tenha sido tolice minha acreditar quando você jurou que me amava há uma hora atrás. – Disse friamente. – Avisei que não tolerava traição.

– Não menti sobre meu amor… – Os olhos dela se preencheram de lágrimas. – Aquilo não significou nada para mim, Nel.

– Significou uma coisa para mim: não posso confiar nas juras de uma pessoa como você.

Como dizia o ministro da propaganda de Hitler, Goebbels: “uma mentira dita cem vezes torna-se verdade”. Algo me diz que, no caso de Diana, nem era preciso chegar na centésima vez para que ela acreditasse nas próprias palavras, mas isso não significava que eu precisasse crer também. Seja como for, certas máximas – pronunciadas em uma discussão – são o máximo do mínimo a que uma pessoa pode chegar. E… quem jura, mente?

*

Natural ou sintético?

***

Uma chuva gostosa caía do lado de fora e na parte interna da casa, já que esta se encontrava repleta de goteiras. Paloma teve a brilhante idéia de me levar ao sítio dos tios sem verificar o estado de conservação do local. Mas, como quem faz o lugar são as pessoas, apenas o fato de estar ali com ela foi o suficiente para me deixar inicialmente feliz. Após arrastarmos a cama para o único canto do quarto onde não chovia, ela olhou para mim de modo sério e preocupado com o livro de Dan Brown entre as mãos.

– Você deve estar detestando essa viagem…

– Vem aqui pra perto que eu só odeio ficar distante de você. – Assumi sinceramente.

– Amor, deixa eu ler o livro… Tá tão bom…

Considerando que era nossa primeira noite juntas após três meses de distância e muitas contas de telefone com ligações internacionais, julguei melhor não responder àquilo. Meu ímpeto “Sex and The City” falou mais alto e, numa versão abrasileirada de Samantha, pensei: se ela não “dá no couro”, troco o toque natural pelo sintético até que ela “se toque” ou alguém me “toque” de vez…

Não foi preciso tanto. Quando adormeci, Paloma se aproximou sorrateiramente beijando minha nuca.

– Hummm… – murmurei entorpecida.

– Pensou que fosse ficar sem mim hoje? Imaginou mesmo que eu a trocaria por um livro? – Ela provocou com aquela voz rouca. – Adiar o prazer só o eleva até o ponto mais alto onde ele deve alcançar…

Pouco importava, porque entre toques, retoques e palavras daquela inteira entrega foi possível chegar a um lugar aonde poucos conseguiriam ir: o caminho mais profundo de um outro coração.

8 Comentários leave one →
  1. Té Pazzarotto permalink
    31 março, 2008 5:37 pm

    O que seria o sintético mesmo?!rs
    Aproveitando a deixa, você tem brinquedinhoS?hahahahaha

    bjs =*

  2. 31 março, 2008 7:05 pm

    Pelo visto você está fazendo perguntas T* para respostas A**…

    Sintético? Sei não, menina, mas, se tem Té no meio (sinTÉtico) ninguém melhor do que você para explicar. hahahahaha… Confesso, no entanto, que gosto de brincar (isso não quer dizer que tenha brinquedinhos… Olhe, olhe…).

    Beijos =)

    *Tesudas

    **Apimentadas

  3. Té Pazzarotto permalink
    31 março, 2008 7:27 pm

    Olho sim, é pra ver o que?!

    =D

  4. Amanda Andrade permalink
    31 março, 2008 8:25 pm

    é… err…cof.. coff.. coff… sem querer atrapalhar o diálogo…mas ja atrapalhando.. rs

    bom texto querida amiga Aranel!

    […se ela não “der no couro”, troque o natural pelo sintético..]

    haha muito bom.. vc como sempre, usa as palavras com maestria, como ngm! =)

    bj bj bj bj

  5. 1 abril, 2008 12:58 pm

    Té… é para olhar o que você quiser…*

    *1° de abril!

    PS.: Mas, se quiser olhar mesmo, tenho uma lista de coisas aqui para você ver e fazer =0

  6. 1 abril, 2008 1:15 pm

    Minha querida Amanda,

    você não atrapalha diálogo algum, amore! Pelo contrário, contribui com sua opinião (sempre mais que bem vinda, porque desejada!).

    hahaha… não é? Antes alguma coisa sintética do que a fome eterna. E a autofagia também ajuda… (cantando musiquinha dos smurfs para disfarçar).

    Obrigada pelo comentário tão doce, querida!

    Beijos e beijos.

  7. missgray permalink
    6 abril, 2008 1:20 pm

    Adorei os textos Aranel! Muito criativos e escritos de uma maneira divertida! Parabéns!

  8. 6 abril, 2008 2:48 pm

    Missgray!

    Muito obrigada, querida! Fico muito feliz que se divirta lendo! Desejando falar comigo ou deixar sugestões, já sabe o e-mail aranelhaldatir@hotmail.com

    Beijos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: