Pular para o conteúdo

Preconceito no trabalho: o que fazer?

1 maio, 2008

No dia 17 de abril, publicamos uma reportagem a respeito de empresas que estão adotando uma postura mais “gay-friendly” e adotando iniciativas como a possibilidade da inclusão de parceiros de seus funcionários gays em planos de saúde. Mas as barreiras a serem rompidas – mesmo dentro dessas empresas – ainda são enormes.

Ainda que a Projeto de Lei complementar 122/2006, que prevê a criminalização da homofobia, esteja em tramitação, um profissional não pode ser discriminado por sua orientação sexual. A advogada Alessandra Campos, especializada em direito homoafetivo e proprietária do blog Direitos Homoafetivos, explica alguns aspectos legislativos em relação à homofobia no ambiente de trabalho.

ilustra do site gaygamer.net


Que tipo de manifestações de preconceito no ambiente de trabalho em relação a gays você tem observado?
- O preconceito, quase sempre, vem de duas formas: primeiro com piadas e insinuações taxativas sobre a sexualidade do indivíduo. Em um segundo momento, se o homossexual errar no desenvolvimento normal de suas atividades, esse erro muitas vezes é relacionado ao fato dele ser homossexual. 
 

O que a pessoa que sofrer preconceito pode fazer?
- O primeiro passo para quem sofre com a homofobia em seu local de trabalho, sendo este dividido em setores, é ter uma conversa em particular com o seu superior hierárquico e relatar os acontecimentos, pedindo providências. Se a pessoa não for bem sucedida, poderá entrar em contato com o Centro de Referência GLBTT e os profissionais deste entrarão em contato com os representantes legais da empresa, com a pretensão de efetuar palestras instrutivas sobre a natureza da homossexualidade e, ainda, esclarecendo sobre a legislação vigente, podendo inclusive multar a empresa neligente com ações homofóbicas de seus empregados. É importante que a pessoa se respalde com o máximo de documentos, testemunhas e tudo o que poderá provar a discriminação sofrida. 
 
Ainda existem pessoas que são demitidas por serem gays? 
- Apesar de existir um preconceito patente em muitos segmentos profissionais, desconheço casos práticos no qual o trabalhador tenha sido demitido por ser homossexual. Se acontecer a rescisão de contrato por esse motivo, o indivíduo terá respaldo do seu direito na Constituição Federal, que garante que discriminação seja rechaçada. Além disso, existem legislações estaduais e municipais que proíbem a discriminação pela orientação sexual.   
 
O gay deve ou não sair do armário no trabalho?
- Acredito que cada caso é um caso e que, se o indivíduo optar por “sair do armário”, a aceitação dos colegas de trabalho em muito dependerá do comportamento profissional deste. O respeito será uma construção. 

Para saber mais:
Blog Direitos Homoafetivos
www.direitoshomoafetivos.blogspot.com

Associação Lésbica de Minas – Alem
http://www.alem.org.br/

Coordenadoria de Assuntos de Diversidade Sexual – Prefeitura de São Paulo
http://www2.prefeitura.sp.gov.br/secretarias/participacao_parceria/coordenadorias/diversidade_sexual

Grupo Arco-Íris – Departamento de Assessoria Jurídica
http://www.arco-iris.org.br/_prt/projetos/c_proj_dep_jur.php

Themis – Assessoria Jurídica e Estudo de Gênero
http://www.themis.org.br/

13 Comentários leave one →
  1. sergio vieira Link Permanente
    5 setembro, 2008 7:32 pm

    bem estou trabalhando em um supermercado de grande porte,e estou tomando uma atitude,divercifindo a aminha sexualidade e eles nao estão permetindo,deixando a entender q eu deveria me demitir por isso

  2. marcos roberto Link Permanente
    11 maio, 2010 8:30 pm

    Eu acho um absurdo isso aconteçer.Eu também estou passando por um certo preconceito na empresa que eu trabalho devido a um “colega “de trabalho que é extremamente homofóbico e que está fazendo a cabeça de outros colegas pra não falarem comigo por eu ser homossexual.É lamentavél isso.Eu faço a minha parte que é respeitar sempre o próximo.

  3. 15 novembro, 2010 1:19 pm

    tbem estou sofrendo com essa discriminaçao,tenho 35 anos,nunca tive namorada,mas pretendo conhecer,e so pq estou sozinho,as pessoas acho q eu sou guei,nao suporto pessoas cochixando por tras,falando mal de minha pessoa,fazendo piadinhas de mal gosto,ate tolero um pouco,mas pior e q eles me isolam,e eu tbem fico triste e me fecho ainda mais q sou,trabalhei mais de 15anos numa empresa,gostava de trabalhar la,contei ao chefe o q estava acontecendo,ele me deu oportunidade pra trocar de area,nao aceitei,estava de cabeça quente,atordoado,pedi a demissao,me arrependo ate hoje,depois de uma semana consegui um emprego numa empresa muito boa igual a qual eu trabalhava antes,gostei do serviço,mas vc acredita em 3 dias,tem uma pessoa q nao foi com a minha cara e eu tbem nao fui com a dele,espalhou q eu era viado,nao sei pq razao,ta certo q eu estava meio triste,pois eram poucos dias q tinha saido da outr empresa e nao tinha me recuperado ainda,sou um timido,nao sei se demonstro ser guei por q sou magrinho,sei la,so sei q a maioria das pessoas dentre elas mulheres tbem,a maioria era casado acredito eu,detro de um setor de 25 pessoas,a maioria distanciaram de mim,nao aguentei,pedi demissao,mesmo gostando do serviço,na entrevista menti,nao falei do preconceito,preferir ficar quieto,agora pecebo q estou fugindo,isso nao e bom.Minha irma foi a primeira a saber ,depois meu irmao,e depois contara ao meu pai,mas desta segunda empresa so contei pra minha irma,meu irmao e meu pai,menti,falei q nao gostei do serviço,e eeles aceitaram,na primeira empresa q sai ,meu pai disse q ele tbem sombavam dele quando ee era novo,mas nao e o meu caso,estou com 35anos e me zombam q sou guei,e bem diferente,nao sei se vou me recuperar,mas quero conhecer uma companheira,q DEUS possa colocar essa pessoa na minha vida,ai tudo vai melhorar com certeza,ja fui procurar ajuda em uma ong,q ajuda pessoas q precisam desabafar,dar uns conselhos,isso e muito bom,ajuda a auto estima,estou um pouco melhor,mas so um pouco,e isso pessoal,desejo força de vontade a todos,q consigamos enfrentar cada dia mais um obstaculo,abraços,valeu!

    • 15 novembro, 2010 6:26 pm

      Espero que no próximo emprego, tudo dê certo pra você!
      Boa sorte e cabeça erguida. Mesmo que você fosse gay, isso não é motivo para se envergonhar!

    • 12 dezembro, 2012 10:08 pm

      Boa noite eduardo, isso que vc está passando, estou sentindo na pele, pois está acontecendo comigo……não sou gay, porém por ter 40 anos e ainda não casei peguei fama de gay e é a 2 empresa que trabalho que já me julgaram e condenaram, ficam fazendo piadas em minhas costas e evitando conversar ou até fazerem amizade comigo…..e essa conversa já chegou na faculdade….e fico isolado em sala de aula….e me caluniam dizendo que até namorado já tive…ridiculo…porém o pior preconceito e quando vc não é aquilo que acham e te tratam da forma que vc fosse.Vou fazer terapia pra fortificar minha auto estima …abraços

  4. 11 março, 2011 3:54 am

    Olá…
    Sou uma transexual e metalúrgica, trabalho na FIAT AUTOMÓVEIS S.A NA cidade de BETIM /MG, gente é babado como é difícil lidar com todos os tipos de pessoas, chefias, classe operária, gerente, gestores…não é fácil ser diferente…sou um ícone na empresa que trabalho,… por ter aflorado ainda mais meu genero,minha verdadeira essência que hoje esta adequado a mente e corpo. A cada ano que entra e sai realizo cirurgias plasticas e estéticas e isso cada vez mais revoltam a muitos desde chefias e classe operária,…infelismente o preconceito é muito grande, principalmente quando as pessoas se dão conta que sou uma pessoa com um genero total didefente e motivada a estudar, e tenho um currículo melhor do muitos homens, e por ser trans isso é uma cruz invejosa e recalcada para muitos alí. Sou um ser humano capaz, inteligente, motivada, e próspera como muitos, só que as portas e oportunidades se fecham ainda mais por mais que nossos currículos sejam compostos e bonitos, cheios de especializações, e boas apresentações. Tenho me esforçado muito ultimamente, emm manter um ambiente tranquilo e não conflituoso no trabalho. Sou muito confrontada, afrontada, mas sou uma pessoa tranquila, inteligente, e não dou o meu direito para os outros! Sou um profissional que vou fazer 20 anos de empresa, farei agora em agosto de 2011, mas sei que todas a chefias alí querem que eu peça resição de contrato…mas não lhes darei o gosto e motivos negativos também para uma justa causa não tenho. Procuro ter sempre uma relação com meu sindicato dos trabalhadores onde o diretor recebe minhas denúncias, e também o CRGLTTT – Centro de Referencia de Minas Gerais em Belo Horizonte, que tem a gestão de Diretora Walkiria La-Roche, onde me acompanha e me ouve sempre.
    Tenho formação especícica e Técnica na área de enfermagem e especialização em enfermagem do trabalho… simplismente eu não quis o rumo e caminho que muitas trans e travestis tomam e mesmo assim sou criticada por todos desde chefias pessoas que se dizem estudadas… porque não estou nas ruas ou na área de beleza, porque estou ocupando lugar de um pai de família. Simplismente fico cada vez mais chocada e a empresa não toma posição de criar palestras e difundir ações corretivas quanto a estes fatos relacionado a diversidade sexual dentro da emresa.
    Beijos Felicidades para todos
    Transexual – Alessandra Verssaly
    e-mail:verssalys@hotmail.com

    • 14 março, 2011 3:10 pm

      É uma pena a postura da empresa. Esse e os outros casos de preconceito (que imagino serem muitos) deveriam ganhar visibilidade!
      Boa sorte!

  5. 21 novembro, 2011 1:58 pm

    uma grande loja de roupas que fica dentro de todos os SHOPING me demitiu no primeiro dia de trabalho por eu ser india ou seja mulata cinco garotas fizeram o teste comigo
    as 4 foram efetivadasmenos eu eu ouvi comentarios de quem trabalhava la dentro e piadas fiquei triste e me mandaram falar com a supervissora ela nem me ouviu e me demitiu todas garotas contratadas eram brancas e nem tinham a carteira melhor do que a minha queria muito falar o nome da loja eu abri conta pra ser efetivada eu tenho certeza de que tudo estava conbinado entre a gerente e todos la dentro por que eles falaram
    contei a milha amiga que fez o teste comigo e ela pediu as contas ela falou se não respeitam voçe muito menos eu a empresa perdeu duas grandes funcionarias

  6. 13 fevereiro, 2012 12:10 am

    No Trabalho todos me olham,estranho riam de mim pela costa ,sem dizer os comentarios e riram ,um garoto olha toda ves que estou por perto fazendo meu serviço do dia-dia.Nao sou gay,falao que sou afeminado,gosto de uma garota;mas nao tenho coragem de aproximar dela me olho com nojo,penso todo dia se pesso demisao ou converso com o gerente que me ver como um filho,Estou com depresao,nao quero ir para o serviço,Saio para os lugares pessoas que me conhece comentam na rua e no bairro que eu moro finjo que nao esculto os comentarios e passo adiante.Se olho para os colegas de trabalho logo estao comentando pelas costa.eu nao sei o que fazer me ajuda.

    ogrigado!

    • 25 fevereiro, 2012 9:14 pm

      Se você possui abertura para falar com o gerente, converse com ele.
      Independente de ser ou não gay, não permita que comentários mesquinhos te façam mal.

  7. martinha marigo Link Permanente
    26 julho, 2012 6:59 pm

    na firma onde trabalho existe preconceitos com pessoas mais experiente,por exemplo se uma pessoa te a idade de 40 anos não pode trabalha la considera velha demais ,acho um absurdo,mais não são só
    gueis que sofrem preconceito muitas pessoas passam por isso

Trackbacks

  1. Acorda! « Na Ponta dos Dedos

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 209 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: