Skip to content

Brasileiros querem que homofobia vire crime

2 julho, 2008

Fiquei espantada com a repercussão do post sobre o comentário da modelo Isabeli Fontana no programa da Hebe. Principalmente com comentários que considero retrógrados.

Bem, o importante é que toda essa balbúrdia levantou pontos importantes:

– ainda existe uma confusão enorme sobre o que é ou não é homofobia
– a confusão é ainda maior quando se trata de liberdade de expressão x o preceito de igualdade
– tem gente que, na falta de argumentos para sua homofobia, apóia-se na religião, dizendo que homossexualidade “é pecado”
– existem pessoas que acham que a reinvidicação por igualdade é uma tentativa de “imposição de uma ditadura homossexual”, que quer tomar o poder e implementar o seu “modo de vida à força”

A respeito de todos estes pontos, estamos preparando uma matéria com especialistas em psicologia e direito, de modo que pelo menos parte dessas confusões se esclareçam.

Enquanto isso, recebi uma feliz notícia – pelo menos pra mim e para boa parte dos leitores deste blog. Uma pesquisa realizada pelo DataSenado revelou que 70% da população brasileira deseja punição para os atos de preconceito contra homossexuais. De acordo com o estudo, a aprovação, considerada elevada, se repete em quase todos os segmentos da população, com pouca variação de acordo com região, sexo e idade, e em todos eles a maioria é favorável ao PLC 122/2006.

Os menores índices de concordância estão entre os moradores da Região Centro-Oeste (55%), pessoas que cursaram até a 4ª. série do ensino fundamental (55%) e pessoas com mais de 30 anos (67%).

Quanto à religião, para 54% dos evangélicos a discriminação dos homossexuais deve virar crime, enquanto 39% desse segmento defendem a rejeição do projeto. No universo de entrevistados católicos e de outras religiões, mais de 70% defendem a aprovação do projeto. 79% dos entrevistados que se declaram ateus querem a criminalização da homofobia.

Mudanças na CLT e no Código Penal

O PLC 122/2006 altera a Lei 7.716/99 que trata de crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional. O projeto estende a punição à discriminação ou preconceito de gênero, sexo, orientação sexual e identidade de gênero.

Também estão previstas alterações no Código Penal e na CLT. Se for aprovado, passa a ser crime, entre outras atitudes, impedir, recusar ou dificultar o acesso de pessoas a ambientes públicos ou privados por conta de sua opção sexual, assim como usar o mesmo argumento para impedir a contratação de pessoas ou sua promoção na carreira profissional.

15 Comentários leave one →
  1. Julia permalink
    2 julho, 2008 5:12 pm

    🙂
    Como eu disse antes, é uma batalha por dia. Pelo menos vencemos mais uma!
    bjs

    e aguardo ansiosamente a matéria… 😉

  2. Greenie permalink
    2 julho, 2008 11:03 pm

    Aguardo ansiosamente a matéria. (2)

    E, realmente, o post da Isabelli rendeu!

  3. Marina Meirelles permalink
    3 julho, 2008 12:11 am

    Nem me fale.

    O povo acha que é a casa da mãe Joana.

    Affff!!!

  4. 3 julho, 2008 1:23 am

    O post tá ótimo!!
    Tbem vou esperar a matéria e linko para cá, do Queer Girls.
    São tapados, homofóbicos e chatos. Mas, encerrei a discussão selecionando a própria fala da modelo que assume ter preconceito. Diante disso, eles se calaram!!
    Quero ver até quando….
    Eles estão fazendo uma cruzada contra o PLC 122. A questão é: nos descobriram. Agora, vamos ter que aguentar essa chacrinha!!
    bjos para vcs!!

  5. Greenie permalink
    3 julho, 2008 3:06 am

    Casa da Mãe Joana? Nem tanto…

    Dá pra “pinçar” umas opiniões interessantes ali, inclusive entre alguns comentários que, a princípio, estavam lá pra rebater o que tinha sido expressado no texto do post*.

    E gostei MUITO quando percebi que esses comentários não foram “censurados”. Aliás, achei que você foi muito lúcida, parabéns! Se bem que não podia esperar outra coisa…

    Esses pontos que você citou, realmente, são questões muito importantes a serem esclarecidas, e tenho certeza que, depois que sair a matéria, alguns ânimos mais exaltados vão se acalmar (ou, pelo menos, os dos leitores mais sensatos).

    É um passo para que lero-leros como os do Crivella não convençam mais nenhum inadvertido por aí. Aliás, esse índice de aprovação tão expressivo da criminalização da homofobia indica exatamente isso: estamos no caminho certo, o que falta é um pouco mais de compreensão.

    Beijo!

    ___________________________
    * Que fique claro que NÃO estou incluindo aqueles comentários completamente sem fundamento, os quais não vejo necessidade de citar (a própria leitura denuncia).

  6. Fernanda permalink
    3 julho, 2008 9:19 am

    Mas ninguém quer mesmo ter um filho gay. Eu não quero! Mas é lógico que se vier eu vou cuidar com o maior carinho do mundo e vou fazer tudo por ele. É a mesma coisa de se dizer: eu não quero ter um filho sem uma perna, mas se vier eu vou ampará-lo do mesmo jeito que eu faria se ele tivesse uma perna. Eu quero ter um filho heterosexual, que se case e me dê muitos netinhos. Mas se não vier, tudo bem. O importante é que venha uma pessoa honesta e feliz. Vcs não devem fazer tanta balbúrdia por causa de um comentário desse. É a opinião dela, deixa ela. É a minha opinião, me deixa…
    E vcs tem a opinião de vcs, eu deixo vcs em paz. E ela não é formadora de opinião. As pessoas não vão “não querer ter filhos gays por causa do comentário dela. Elas já não querem naturalmente… E ela tem o direito de falar o que quiser, liberdade de expressão…

  7. Amordemulher permalink
    3 julho, 2008 11:09 am

    Apoiada Marina!!!bjo

  8. Marina Meirelles permalink
    3 julho, 2008 12:57 pm

    Caros,

    Deletei os meus próprios comentários porque, na fúria, eu mesma fui contra algo que estou tendo cuidado: com ataques pessoais. Ontem deletei alguns comentários que iam nessa linha e não faz sentido que eu faça isso também.

    Peço desculpas por isso.

    Bem, cara Fernanda,

    Em primeiro lugar, “ninguém quer ter um filho gay” é uma informação um pouco imprecisa. Primeiro porque o desejo de como seja seu filho não vai influenciar em nada em como ele vai realmente ser. Em segundo lugar, eu não me importaria em ter um filho gay, nem em ter um filho hétero. Eu me importaria, sim, em ter um filho com uma mentalidade retrógrada e preconceituosa – não só em relação aos gays, mas em relação às mulheres, aos negros, aos pobres ou a qualquer outra minoria política.

    Querer ter um filho que te dê netos, na minha opinião, é uma projeção. E se ele quiser ser padre? E se ele não quiser ter filhos porque tem medo de botar filhos no mundo? O seu desejo é uma coisa, o que vai ser é outra, como você mesma disse.

    No entanto, seus demais comentários são um pouco contraditórios.

    1) “Vcs não devem fazer tanta balbúrdia por causa de um comentário desse. É a opinião dela, deixa ela. É a minha opinião, me deixa…”

    Bem, se isso é uma balbúrdia sobre uma besteira, por que você se incomodou tanto em vir aqui se manifestar? Eu acho que o comentário dela pode ter sido uma besteira, mas ele revela uma rejeição a uma situação sexual em que vivem algumas pessoas. E levanta a questão da homofobia, do que é homofobia, do que não é. A homofobia manifesta-se de diversas maneiras, começando de comentários “inocentes” e chegando a violência e morte. A homofobia que foi manifestada em vários momentos dessa discussão, com comentários do tipo “eu não me importo, desde que não precise conviver com gays” é a mesma de skinheads que espancam os garotos na República manifesta de maneira diferente. Isso é preocupante.

    2) “vcs tem a opinião de vcs, eu deixo vcs em paz.” Eu não vi, em nenhum momento, respeito à minha opinião. Você começou seu discurso com “é claro que ninguém quer um filho gay”, isso não é exatamente respeitoso. E, se você realmente não se importasse e nos deixasse em paz, não viria aqui se justificar.

    3) “E ela não é formadora de opinião.” No Brasil, infelizmente, qualquer “celebridade” é formadora de opinião, sim. O que eu quero dizer é o seguinte: ela não necessariamente muda a opinião de ninguém, mas influencia o direcionamento das pessoas.

    4) “E ela tem o direito de falar o que quiser, liberdade de expressão…” Pois é, a liberdade de expressão é a mesma para mim e para ela. Ela fala o que quer. Eu digo que não concordo. Você diz que não concorda comigo e eu digo que não concordo com você. Ótimo. Acontece que a liberdade de expressão tem limite. Eu não posso chegar aqui e falar que a modelo é burra porque ela disse isso, baseada em UMA característica e depois me defender dizendo que é “liberdade de expressão”. Uma coisa é ela dizer “não gostaria que meus filhos fossem gays porque eles sofreriam”. Outra coisa é dizer “não gostaria que meus filhos fossem gays porque sou preconceituosa”. (Ela mesma admitiu no programa que é um pouco de preconceito, é só ver o vídeo.)

  9. Julia permalink
    3 julho, 2008 1:20 pm

    Fernanda, só um adendo aos comentários da Marina:

    “Não quero ter um filho homossexual como não quero ter um filho sem uma perna”

    Não sei se já li algum comentário mais preconceituoso do que este.
    Te explico o porquê, para que não venham me dizer que tenho preconceito contra os aleijados: sou homossexual e, excluindo as restrições impostas pelo PRECONCEITO, este fato não me traz nenhuma outra restrição. O que não acontece com quem não tem uma perna, por exemplo.

    É este pensamento preconceituoso velado e quase imperceptível para quem não o sente que temos de combater nas próximas gerações.
    Espero que vc não ensine valores como esses aos seus filhos, gays ou não.

  10. 3 julho, 2008 7:48 pm

    Porque sou rasa, irei deixar um comentário extremamente superficial: o Moby – não é o Dick – gostaria de ter um filho gay. Sim, sim!
    Esta escolha, segundo ele, se daria por alguns fatores, como: os gays têm uma maior probabilidade de serem mais cultos e têm bom gosto.
    Dá licença, tá? Também gosto de informações mais lights!

  11. Marina Meirelles permalink
    4 julho, 2008 12:34 am

    hehehehehe

  12. fabifolie2008 permalink
    4 julho, 2008 7:45 am

    adoro os comentarios de pessoas que se dizem nao preconceituosas, mas por ato falho, no proprio comentario jah mostram o quanto sao. eh como o cara que diz quer nao eh racista, mas nao gostaria de namorar uma menina negra. filho homossexual, que diferença faz? eu nao quero eh que meu filho seja mau carater, machista, que use o proximo como escada, preconceituoso, etc. isso pra mim eh grave. quanto a sexualidade, quem tem que se preocupar eh ele (ou ela), quando chegar a hora.
    parabens pelo blog, meninas. cai aqui pelos links que estavam na pagina da folha.

    bisou

  13. Té Pazzarotto permalink*
    5 julho, 2008 10:15 am

    Eita tata, como rendeu né?
    Eu já tinha visto essa notícia no jornal O Globo…
    Essa pesquisa foi feita por causa das ligações para o Alô Senado:
    http://oglobo.globo.com/pais/mat/2008/06/21/pesquisa_mostra_aprovacao_projeto_que_pune_preconceito_contra_gays-546912439.asp
    Beijos =)

  14. Sidiney Lucas permalink
    8 julho, 2008 1:50 am

    Bom aqui estou novamente!!!

    Volta e meia dou uma passada por aqui pra ver o que tá rolando nos comentários postados… Pois o BLOG ficou nacinalmente visitado depois da matéria sobre a “Simpatissíssima Isabeli”… rsrsrs… Vejo uma divisão muito grande de opiniões, mesmo o BLOG tendo uma direção em defesa do assunto… Na realidade o que falta é informação para as pessoas… Tanto para um lado, quanto para o outro… Um precisa parar de ver preconceito em tudo… O outro precisa entender que cada um faz da sua vida o que quer… Talvez o movimento homossexual brasileiro precisasse tentar entender que a sociedade brasileira precisa de um tempinho maior para entender o que realmente está acontecendo, isso não quer dizer que toda a sociedade seja preconceituosa, a maioria nem sabe o que tá dizendo… A maioria nem conhece os prós e os contras da PLC 122… Porque como todo o projeto de lei, tem lá suas falhas é só ler o projeto na íntegra… Hoje falamos tanto em discriminação, mas na grande maioria das vezes nós discriminamos até a opinião alheia… Tenho como exemplo uma frase que me chocou muito “VC NÃO VALE A PENA”… As vezes a gente escreve tanta asneira sem nem sequer conhecer as pessoas… Muitas vezes atrás de um comentário está um ser humano que pensa, que ajuda o próximo, que luta por igualdade entre as pessoas e outras coisas que terminam passando em branco por causa da intolerância… Em relação as pesquisas, sinceramente pesquisa reflete o que interessa a mídia nesse país, aquilo que dá lucro e audiência… Analisei a matéria e vi que foi usada uma frase que diz o seguinte: (- tem gente que, na falta de argumentos para sua homofobia, apóia-se na religião, dizendo que homossexualidade “é pecado”)… Bom… Se entrarmos nessa área complica e muito… Hoje em dia há muitas religiões, em sua grande maioria se diz Cristã… Em sua grande maioria diz que a Bíblia é a palavra de Deus, o manual do Cristão… Existem aqueles mais fervorosos, os que crêem e os que acreditam só no que lhe convém… Fiquei curioso com isso e fui fazer algumas pesquisas, o que encontrei me chocou um bom tanto e talvez vá chocar os leitores que fizerem a mesma pesquisa que fiz…Depois de ler comecei a refletir… Se a Bíblia tem valor mesmo para nós que nos julgamos filhos de Deus, (No meu caso tem, pois me trouxe conforto e força nos momentos mais difíceis da minha vida)seria interessante ler a seguinte passagem… Livro de Romanos no Novo Testamento no Capítulo 1 versículo 24 ao versículo 32… Nesse caso fica a seguinte questão… Vale a Bíblia ou vale o que nos convém… Sei lá o que dizer num caso desses, creio que toda a discriminação é crime… Principalmente a discriminação que agride tanto fisicamente quanto verbalmente, as duas são covardes… Mas enquanto estamos lidando com a lei dos homens podemos pegar alguns anos de cadeia por fazer ou dizer bobagens, mas será que não perdemos a noção do certo ou errado perante a Lei daquele que tudo vê, creio eu que ainda se acredita em Deus… Pra ser sincero eu acho que tanto Héteros quanto Homos tem uma dose de preconceito muito grande enrustida dentro de si… Os héteros por não saberem lidar com o que é diferente, e os homos por não saberem tolerar e entender que a sociedade que aí está, tem uma orientação que necessita de algum tempo pra entender e assimilar certas coisas… Alguém já parou pra pensar numa coisa muito curiosa… Se um branco chamar um “negro” de negro, isso é racismo… Masssssssss, se um “negro” chamar um branco de branquelo ou branco azedo é simplesmente uma expressão… Não seria racismo também??? Antes de me chamarem de racista, sou descendente de índio, negro e espanhol… Mas é só uma curiosidade… Como podem ver, pertenço a duas raças bastante discriminadas… No Brasil queimam índios e ainda escravizam negros com baixos salários e raras oportunidades de sucesso… Moral da história depois desse jornal que escrevi… Os dois lados tem razão e ao mesmo tempo os dois lados estão errados… Por isso, como eu disse para a Marina um dia desses… Precisamos dar tempo ao tempo para as coisas se ajustarem, e cada um fazer a sua parte… Afinal, acima de qualquer coisa somos seres humanos e temos nossas “inúmeras falhas”, e claro, não podemos culpar os religiosos por acharem o que acham, quando lí o texto bíblico a única resposta que pude dar pra mim foi a seguinte: PRECISO MELHORAR MUIIIIIIIIIIIITO!!! Pois se o que está escrito lá for verdade e eu creio que é… É como diz nordestino: Danou-se, tamo tudo lascado mainha… rsrsrsrs… Um abraço a todos e muita felicidade a cada um de vocês… Lembrem-se, não basta pregar igualdade e tolerância é preciso por em prática também… Putz!!! Chega de escrever, se meu POST for pro BLOG, vai parecer uma revista, não um jornal…

  15. Josadac Bezerra dos Santos permalink
    6 dezembro, 2008 9:47 am

    Acho que esta questão de homosexualidade como pecado ser considerada um conceito homofóbico é que é o problema. É onde está o X da questão. À Igreja ou igrejas cabe definir o que é pecado e o que não é. Não são os outros saberes e instituições que devem afirmar que homossexualidade não é pecado. É preciso garantir a liberdade e o direito de igrejas e religiosos afirmarem a natureza pecaminosa da homossexualidade, já que pensam assim. Se isso fosse assumido pelo movimnto LGBTTT, haveria menos tensão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: