Skip to content

Retrato de uma Infiel

16 agosto, 2008

 

                                                                                Por: Fernanda Jamas

.

Tudo bem…

Você se vê numa relação desgastada, regada a rotina, maus hábitos… E eis que o que você nunca cogitou acontece.
Sim, aquela garota com a qual você sempre sonhou, porém nunca imaginou fazer nada – ou melhor, até o fez, mas seu superego inibiu- aparece linda na sua frente, com cabelos esvoaçantes, perfumada, sorriso perfeito e toda afim de você…
O que até então era impossível, começa a ser plenamente cogitado.

Vocês se encontram por acaso numa certa festa, mas você, com sua namorada, nada pode fazer. Mesmo assim não deixa passar (até pensa em deixar pra lá, mas depois de esperar dois anos fica difícil) e combina de sair com a menina…

Claro, tudo muito bem esclarecido entre ambas as partes, uma vez que a menina linda dos seus sonhos também é comprometida – e pra lá de comprometida!

O que você não esperava é que logo no primeiro beijo rolasse A química , e, o que era pra ser por uma noite,  progride para uma paixão louca, doente; paralela ao relacionamento, é claro…

Você, até então, fiel ao extremo, mantém isso como uma grande novidade, com um certo receio, tentando conviver com diferentes emoções e sentimentos, experimentando a tal  adrenalina, o medo de serem pegas…

Por outro lado, seu namoro está ali, nunca deixou de estar e você tem que dar assistência. Nada pode sair do eixo para não dar margem de que há algo errado no ar… Até a família começa a ter que entrar na dança para que nada seja descoberto.

Vocês saem em horários não comerciais, usam telefone fixo para comunicação, esconde a conta de celular, inventa códigos para se comunicarem… A paixão, o tesão e tudo ali envolvido briga com a sua moral, o amor, e todas as verdades antes estipuladas, mas não tem jeito, você se rendeu ao seu desejo e percebe que entrou para um caminho sem volta…

Ao perceber que dá para ter as duas coisas: rotina de casal , domingo no cinema com o plus da amante em noites tórridas de sexo ao longo dos dias da semana, almoços divertidos, friozinho na barriga e etc., se torna extremamente difícil voltar ao que antes você era, afinal, você mudou sua essência, a forma como leva sua vida, seu relacionamento e agora não mais hesita em “topar uma onda” quando a ocasião está toda favorável a você… Não, você não deixou de amar a sua namorada com quem desenvolve brigas homéricas sobre onde irão jantar à noite porque nenhuma decide qual a melhor opção, ou porque ela demora demais pra se arrumar… Você apenas alterou seu paradigma.
Aquela mulher continua sendo a mulher da tua vida, mas “há tanta vida lá fora”, como diria Lulu, e isso passa a ser sua máxima, até quando eu não sei…

A verdade é que você só vai descobrir como isso vai acabar, se é que irá, vivendo… E, por enquanto, na minha humilde opinião, é um caminho sem volta.
Parafraseando o texto da pessoa traída: “nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia”. E não é com relação ao sentimento de traição aqui e sim em como levar a vida depois que você se torna infiel…

Ao abrir esta verdadeira caixa de Pandora tudo dentro de você está mudado e não dá mais pra fechar os olhos pra experiência da traição vivida, uma hora ou outra isso sempre irá pesar…. 
Como diria o velho ditado popular: “a ocasião faz o ladrão!”

Fernanda Jamas

 

____

Textos relacionados:
Traição

3 Comentários leave one →
  1. 17 agosto, 2008 12:38 am

    Essa parte em que você cita os códigos,nossa,me fez lembrar uma coisa louca que eu inventei com uma mulher que eu adoro,um certo reloginho.Nossa,um dia esse relógio vai parar,como eu vou sofrer.

  2. 19 agosto, 2008 6:12 pm

    “Aquela mulher continua sendo a mulher da tua vida, mas “há tanta vida lá fora”, como diria Lulu, e isso passa a ser sua máxima, até quando eu não sei…”.

    Fernanda,

    já havia comentado internamente sobre como achei seu texto rico e, sobretudo, dotado de uma sinceridade impactante.

    Só posso aguardar com ansiedade as próximas participações especiais!

    Grandes Beijos, Aranel! =]]]]

  3. 28 outubro, 2008 1:25 pm

    Bah, eu nunca traio, acho isso muito baixo nivel.. pq tive muitas experiencias com isso.. comigo e na familia. Enfim.. mas conseguiste me mostrar o outro lado..

    Muito bom o texto.. muito bom mesmo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: