Skip to content

“Cuidado comigo”

12 janeiro, 2014

280779_Papel-de-Parede-Quebra-Cabeca-do-Amor_1600x900

Cuidado: palavra que vai da precaução ao zelo.

Olhando os relacionamentos a minha volta e os que já tive, acho que seria possível resumir os problemas de todos nessa palavra simples – CUIDADO: atenção para o que você faz de mais ou de menos; precaução com as palavras e gestos; e zelo, aquele carinho que as namoradas querem ganhar apenas de suas namoradas.

Durante os “primeiros minutos” de paixão, é tudo lindo: as qualidades são perfeitas, os defeitos são ideais (os que não são você dá uma maquiada), as ligações são constantes, a vontade de ver e a atitude para saciar essa vontade estão equilibradas. O tempo passa e as coisas, pelo menos no tocante a rotina de vocês, tendem a se acalmar… Cada uma tem seus afazeres e por aí vai. Esse instante é aquele onde nasce o respeito ao espaço do outro e à sua individualidade. Mas espaço não é vácuo e individualidade não é solidão!

Algum dia as primeiras brigas irão surgir, uma ou outra cobrança também. Brigas fazem parte, é aquela situação na qual você tenta enfiar a fina força uma peça no lugar errado do quebra-cabeça só porque você acha que ela encaixaria ali pela forma e pelo desenho até descobrir a peça certa. A briga não é para desgastar, é para acertar as coisas. Se desgasta é porque alguém ou ambas não estão se ouvindo, principalmente brigas que não saem do “LÁ”.

Já as cobranças…, depende de como você vai querer interpreta-las. Tem quem cobre porque sempre quer mais, tem quem cobre porque está tendo quase nada. De um jeito ou de outro, algo não é mais o suficiente e suficiente não é sinal apenas ou exclusivamente de quantidade/frequência, para muitas diz respeito a qualidade do tempo que se passa junto, das palavras que reavivam o amor, do cafuné, da procura por sua mão na rua, do abraço sem motivo – que não veio para dizer “oi” nem “tchau”, de beijos e não selinhos, de sexo […]. Às vezes apenas diz respeito a um “eu te amo” ou um “saudade” sem ser precedido ou seguido de um também. O eco cansa e o “também” além de expressar reciprocidade, mais do que a cobrança, parece “obrigação”. Não se trata de mudar quem você é, mas certamente são necessárias adaptações: é preciso ceder, mas ceder não é ser dominado.

O “fato” é que relacionamentos são cheios de mal-entendidos, de desencontros, de ritmos diferentes; e é complicado entender que a exceção não é a regra e a regra não é eterna e imutável.

Obs: vale dizer que sem esses “problemas” não há como saber onde se está acertando ou errando e é muito ruim achar que está tudo bem quando não está, o resultado disso ou é alguém infeliz em silêncio ou um fim aparentemente inesperado; enfim, esses mesmos problemas  ou fazem o relacionamento crescer ou acabar.
Obs 1: Se vocês tiverem “cuidado”, tem uma recompensa ótima no final desse “arco-íris”…

 

 

Veja também: https://napontadosdedos.wordpress.com/2009/05/17/os-cs-da-relacao/

5 Comentários leave one →
  1. beh permalink
    12 janeiro, 2014 9:29 pm

    Belo texto. Acho cobrança um saco…rs…e geralmente as pessoas querem nos transformar!
    Muitas questões são carências tb, o problema não está no relacionamento, está na falta de
    algo dentro da própria pessoa, mal resolvida. Imagine duas pessoas mal resolvidas!
    Fora isso, a falta de cuidado realmente é um lapso, acho válido uma DR sem nóias, tudo com muito bom humor que acho fun-da-men-tal. Com leveza a gente vai longe…..porque se
    relacionar não é fácil não!

    bjs

    • 13 janeiro, 2014 12:33 am

      É preciso cuidado também nisso… Andei percebendo que as pessoas gostam de apontar as outras como “mal resolvidas” como justificativa para certas atitudes. Além desse tem o “dramática”, “louca”, “encanada”, “imatura/infantil” etc. Tudo depende, ao meu ver, de com quem você está se relacionando, e, convenhamos, isso também depende muito do ponto de vista: para uns – “alguém” será equilibrado, para outros – o mesmo “alguém” poderá ser “problemático”. Enfim, como você bem disse, relacionar-se não é fácil! rs

  2. 13 janeiro, 2014 11:24 am

    Concordo com as duas! Tem muita gente mal resolvida na vida, mas também tem um povinho enjoado que você não pode reclamar de nada que “tá fazendo drama” ou “cobrando”.
    Enfim, gente que não cuida perde! Depois não adianta se arrepender porque pra reconquistar é foda!

  3. Bia permalink
    13 janeiro, 2014 11:28 am

    Complicado isso aê! Já fui o outro lado e ainda gosto dela. Me senti sufocada, mas realmente tava noutro mundo sei lá! fiquei triste agora

  4. sarah permalink
    31 janeiro, 2014 8:36 am

    não é o amor que sustenta o relacionamento é a forma de se relacionar que sustenta o amor
    quando duas pessoas decidem se relacionar elas tem que estar disposta s a aprender com o mundo do outro e a viver nele tambem…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: