Skip to content

Nossas Digitais

Fundadoras 

.

Té P.

Bacharel em Comunicação Social, mestranda em Ciências Sociais, tenho verdadeira adoração pelos vários tipos de escrita, “informal”, ficcional, acadêmica etc.
Tenho meus princípios, uma personalidade forte e um gênio “impossível”! Sou difícil, mas sou exatamente como quero ser, e gosto de ser assim!

 

_______________________________________________________

Marina Meirelles

pict0366_2.jpg

Com cinco anos comecei a ler e escrever as primeiras palavras e, desde então, elas se tornaram uma paixão, minhas melhores amigas e, às vezes, minha perdição. Eu me descubro, me analiso e me expresso escrevendo.
Já como oradora não sou tão boa.
Aliás, tem dias em que não quero falar nem “bom dia”. E tem dias em que tudo o que eu quero é falar.
Esse gênio destemperado já me custou um bocado, mas também me trouxe ótimas surpresas, como a amizade que tenho com cada uma das minhas “blog-mates”.
Sou fã da internet como ferramenta de distribuição de informações, apesar de suas limitações.
Adoro escrever a lápis, nhoque ao pesto, dormir de manhã, fotografar.
Adoro caipirinha de sirigüela também!
Não vivo sem música, sou apaixonada por meus “filhos quadrúpedes” e amo o mar. =)

E-mail: marinameirelles3@gmail.com

_______________________________________________________

Aranelimagem-da-aranel.jpg

Nasci em um mês do ano onde tudo parecia ser mais doce para os meus pais. Tornei-me tão amável quão amada fui e, ainda hoje, consigo olhar o mundo com a mesma perseverança infantil de quem se recusa a crer em um universo desprovido de amor. Corro os riscos e me equilibro no turbilhão de sensações que é marcar e se deixar ser tocada, que é olhar e se permitir ser vista além do local onde a própria visão alcança.  Assim, poderei ver a face de um estranho e encontrar ali o amigo mais próximo. Poderei observar os olhos de um íntimo e desvendar uma distância secular que nunca se mostrou presente embora sempre estivesse ali – esperando o momento de uma observação atenta para ser revelada.  Mas, seja com dor ou com prazer, sentirei o outro em seus silêncios e palavras, em suas respostas e questões; porque nisso reside a certeza de que valeu e, aí, mora a convicção de que vivi.

e-mail: aranelhaldatir@hotmail.com

%d blogueiros gostam disto: